A Guerra Oculta (Vampiro A Mascara)

Sessão 2

Acontecimentos

 

Cassandra

(resumo)

Cena 1: O Rapto

Após a ida ao Elisio,cassandra voltou a sua boate,onde tocava Chriss Snake cria de Riam Sonier.

Na boate havia mais dois vampiros,Mary uma ventrue,e a Delegada Lois Turner,Cassandra pergunta a delegada o porque estava la,e a delegada diz que somente estava fazendo seu trabalho. Ela vai a Mary no camarote e pergunta se está se divertindo,ela confirma e Cassandra aproveita para ver sua mente,e não vê nada de mais.

Assim que ela deixa Mary ela percebe que as luzes estão baixas e nota dois homens estranhos vestido de seguranças em cima do palco.Ela vai a sala das luzes e percebe que o funcionário está morto,volta ao Camarote e nota que o Chriss desapareceu e Mary também,recebe um chamado no radio de um segurança chamando por socorro pois o porteiro da porta dos fundos estava gravemente ferido.

Cena 2:A perseguição

Cassadra vai até o local e ve o segurança com o homem com o pescoço cortado. Ela corre para fora e com seu Auspicios nota pequenas gotas de sangue no chão,ela segue o rastro até o telhado de uma casa,ela sobe e vê ao longe um grupo de quatro vampiros(nota pela aura) dois carregando os membros Mary e Chriss. 
Ela os percegue sem usar diciplinas  mas eles são mais rapidos,e se distanciam,eles pulam em um beco e ela temendo que desapareçam usa rapidez e chega ao beco rapidamente,pula dentro do beco e com seu alfato sente cheiro do sangue na direção da rua.
 

Cena 3:Perseguição de carro

Assim que chega na rua vê dois carros fungindo,um virando uma rua a direita e outro seguindo a rua reto,ela consegue ver e memorizar a placa do carro que segue a rua ,por sorte a delegada para o carro perto de Cassandra e ela entra,dando inicio a uma perceguição contra o carro que ele não memorizou.
Os vampiros conseguem despistá-las por um momento fazendo-a passar uma rua direto,mas eles batem logo em seguida tendo que entrar em outro beco,saindo do outro lado do quarteirão e roubando um carro. Cassandra sai do carro da delegada que da a volta,e entra no beco seguido os rastros dos vampiros,ela chega a tempo de ver o carro dando a partida e pula do telhado até no capo do veiculo. Um dos raptores atira para cima e atinge Cassandra ferindo-a,ela quebra o vidro e pula dentro do carro,no colo dos dois,um motorista e uma garota no banco do pasageiro.
O motorista atira e atinge Cassandra,que chuta o homem para fora do carro,ela puxa o freio de mão e por sorte o carro para sem problemas,ela atinge a garota com um soco e destroi seu rosto.

A delegada atropela o homem que cai do carro desacordando-o. Após isso elas fogem da policia levado os corpos no carro da delegada.

Cena 4:De volta a boate

Elas voltam a boate e a delegada leva os corpos estacados dos dois raptores,e acorda Chriss. Cassandra deixa Chriss na boate sem fazer muitas perguntas.

Assim que manda fazer a inspeção na boate Conor,liga para ela e diz que um brujah chamado Samuel estava sedo perceguido por Cornélius.

Cena 5:Atrás de Samuel

Assim que Cassandra sai da boate encontra com Elliot,um brujah aliado de Samuel e cria de Conor ele a leva até o refugio de Samuel em Midi-city.A casa está silenciosa,Cassandra bate mas ninguém responde.Assim ela força entrada.

A casa está vazia,ela vê o quarto revirado e sinais de luta.Ela vai para porta de trás e vê na rua marcas de pneu na rua saindo da casa. Ela volta ao seu carro e segue o rastro usando seu Auspicios.

O rastro a leva até uma ponte,ela sobe e escuta conversas abaixo da ponte.Uma das vozes de Cornelius,ela desce com Elliot,e vê que Samuel está preso em correntes,e sendo ameaçado por Cornelius. Ela para a interrogação intimidando Cornelius e levando Samuel com ela.

Assim que chegam a casa de Samuel ela diz aos brujah que devem parar de entrar em problemas anarquistas.


Vitorini

Cena 1:A manifestação

(Resumo)

Assim que Vitorini sai do Elisio ele convoca Cicatriz para segui-lo em sua investigação. William seu Lacaio lhe da informações de que está ocorrendo uma manifestação no centro da cidade.Vitorini ordena que vão até la para checar,porém o transito estava muito parado e ele e cicatriz decidem roubar uma moto em um beco para seguir entre os carros.relutante Vitorini aceita andar no estranho veiculo,pilotado por Cicatriz.

Vitorini antes passam em uma loja de roupas onde Cicatriz compra algo para ele se troucar suas roupas de festa e se disfarçar entre as pessoas.

Quando chegam nos quarteirões próximos eles notam a baderna e confusão,carros de policia enfileirados e barulhos de esplosões e gritos.Eles sobem em um prédio para visualizar melhor,e vêem a multidão enfurecida querendo entrar em um tribunal enquanto a policia ficava na porta atirando bombas e balas de borracha,a multidão fugia mas se recompunha e voltava com mais raiva,policiais estavam feridos e e o caos estava instalado. Vitorini percebe que entre os manifestantes está uma mulher loira com panos listrado de tigre tampando o rosto,ela era um vampiro pela aura,e incitava a multidão.


(Romance)

Os estrondos,fumaça e gritos lembravam Vitorini de batalhas passadas.Exceto o cheiro de sangue e gritos de pânico que não era tão intensos agora.Isso o fez sentir uma nostalgia de tempos onde ele parecia mais importante e poderoso e não um estranho em uma terra estranha. Ele já tinha visto revoltas populares antes e essa não o intimidava,apesar de que ele notava que as pessoas não se dispersavam por mais que os homens da lei atirassem e explodissem aqueles artefatos estranhos e mau cheirosos. Algo haver com a dama loira(se é que pode ser chamada de dama),ela sempre desaparecia em meio a multidão mas uma procura mais focada e Vitorini conseguia encontra-la aqui ou ali. Ele sabia que se descesse até la poderia perde-la de vista,mas o que fosse o que eles queriam naquele tribunal eles não poderiam conseguir,não de baixo do seu nariz.

─Cicatriz eu irei descer até la.─Vitorini diz sem se virar.─Me espere aqui.

─Certo eu ficarei aqui e observarei.─Cicatriz responde desaparecendo,como se a noite o envolvesse.

Vitorini desce as escadas de emergência do prédio não muito alto,até um beco escuro.Alguém mais atento poderia nota-lo ali graças as luzes dos carros da policia,mas eles tinham mais o que se preocupar além de um homem em um beco.

Vitorini sai na rua que passa em frente ao tribunal cercada de carros e policiais,a rua da manifestação era a rua que terminava em frente do tribunal,a policia tinha fechado os dois lados da rua para evitar maiores transtornos com transeuntes e mesmo formar locais seguros.Vitorini passa sem se preocupar por trás dos carros procurando uma liderança entre os policiais e vee um homem com um objeto estranho na boca que ampliava sua voz e cordenava as unidades ao mesmo tempo que tentava apaziguar a multidão sem sucesso.

Vitorini era rápido mesmo quando não estava usando de sua velocidade sobrenatural,e em segundos e graciosamente com agilidade de um gato e presteza de um guerreiro da renascença,passa pelos carros e pula um dos muros do tribunal que levava a escada chegando atrás do oficial que agora pedia por reforços desesperadamente,quando o homem o nota.

─Quem é você? ─O oficial diz com estranheza─Aqui é uma área restrita!

─Você deve me escutar homem da lei.─Vitorini diz e vendo no rosto do oficial que a sua autoridade já era inquestionável─Siga minhas instruções e…

Antes mesmo de Vitorini terminar a ordem o chefe de policia é atingido por uma enorme pedra do tamanho de uma bala de chanhão,mesmo com capacete o homem não agüenta o impacto e cai desacordado.

“Somente um cainita teria força para arremessar uma pedra dessas,a não ser que os canhões de hoje fossem silenciosos.”

Vitorini vendo que a situação estava mais critica,aproveita o pânico dos policiais a frente e arrasta o oficial atrás de uma pilastra e veste suas roupas.Ele sai e pega um escudo e vai em direção da tropa a frente . “Talvez os policias ganhem coragem com um lider forte a frente”

Assim que Vitorini chega próximo ele grita aos policiais:

─Se preparem homens,atrás de mim!

Mesmo com seu sotaque inglês antigo e atitude incomum os policiais não questionam seus séculos de liderança e presença e se reúnem atrás dele.

Vitorini se prepara e encara a multidão a frente,através do escudo que tinha convenientemente um buraco na frente dos olhos e cobria todo corpo.A visão era turva,a fumaça,gritos e tiros,Vitorini ordenava o avanço das tropas em seu comando e os momentos de atirar como um antigo exercito inglês.Ainda sim os revoltosos não fugiam ou recuavam o bastante fazendo aquela tarefa difícil e lenta.

Pacientemente Vitorini pensava em formas de contornar a situação,ao mesmo tempo que desviava de pedras e pessoas com pedaços de pau.Até que uma figura vindo em meio a fumaça de um homem mascarado alto segurando um pedaço de ferro com um pouco de concreto na ponta como se retirado do chão a força vinha em direção a ele.

Quando o homem chegou a poucos metros ele avançou rapidamente levantando a barra para atigi-lo de cima. O suposto vampiro era lento,rapidamente Vitorini levanta seu escudo e segura a porrada. Sua intuição sobrenatural o faz olhar para o lado esquerdo onde nota um outro homem em meio a multidão atirando pedras,ele tinha um tipo de artefato em suas mãos como uma garrucha em torno de um papel como se quisesse esconde-la,não do conhecimento de Vitorini em garruchas,ele estava mirando em sua direção,esperando o momento certo,e aquele era o momento.

Vitorini bombeia seu sangue para aumentar ainda mais sua velocidade,e antes mesmo do tiro Vitorini vira o escudo para esquerda se protegendo do dano,e antes do vampiro a frente tentar um novo ataque,ele atira seu capacete em uma velocidade de bala na cara do brutamontes,que se estatela no chão.

Assim que ele olha para a direção do homem armado ele desapareceu em meio ao caos e o pobre neófito a frente era puxado e ajudado pela turba.

“Ficar aqui no meio é perigoso para mim,agora já sei que vampiros realmente estão influenciando a multidão diretamente”

─Tropa mantenham posição!

Depois do comando ele volta as escadas do tribunal,Vitorini tinha que fazer co que sua presença chegasse a todo pelotão e não somente a meia dúzia. Ele vê o objeto cônico que o oficial usava para falar e o pega,depois de um teste ou outro ele ativa o estranho item.

─HOMENS DEVEMOS LUTAR CONTRA O CAOS DESSA CIDADE,ESSAS PESSOAS NÃO NOS TEMEM MAS VÃO APRENDER A NOS TEMER,NÓS SOMOS HOMENS DA LEI,NÓS SOMOS FORTES,PORQUE ESSA É NOSSA CIDADE, FAZEMOS ISSO POR NOSSAS FAMILIAS,PELA ORDEM..─Nesse momento Vitorini se segura para não falar pela rainha─E PELA LIBERDADE!

Por mais antiquado que fosse seu discurso,Vitorini sabia discursar com confiança e usar palavras que sempre são valorizadas por qualquer um,junto com o peso de sua presença vampirica ,os policiais que temiam passaram a não temer mais e todos os que estavam esperando por um reforço contra a multidão se reunião com a tropa de choque e começou avançar,carros de policia seguiram logo atrás fazendo uma parede de luzes e fogos fazendo com que a coragem diminuísse e a confusão e medo crescesse entre a multidão que começou a se dispersar.

Vitrorini começou a procurar membros entre a dispersão com sua percepção sobrenaturalmente aguçada,ele nota um mascarado,mas não no meio da multidão mas em cima de um prédio com uma arma de fogo mais comprida que a dos policiais,que assim que vê que foi notado foge entre os prédios e a escuridão da noite.

Vitorini procura pelo “comandante das tropas” e o vê dentro de um veiculo branco com luzes semelhantes dos menores. Ele vai até o carro ,o homem está levemente acordado,Vitorini aproveita que não há movimentação próxima e corta parte de seu pulso deixando sua vitae correr para dentro de sua boca.O homem acorda de repente assustado,com seus ferimentos fechando.

─Quem é você?

─Eu sou seu salvador.─Vitorini diz.─Me encontre no jóquei club da cidade as meia noite.


Cena 2:A busca por Cloe

(Resumo)

Após sua conversa com o chefe de Policia no jóquei clube ele novamente convoca Cicatriz e em seguida vai para o French Quarter a procura da Anarquista Cloe.Ele entra em um bar movimentado e la se alimenta de duas mulheres.Procura informações de um bar mais barra pesada,e acha um bar ao sul do bairro.

Entrando no bar ele sobe no segundo andar e vê Cloe,ela também o vê e sai pela porta de trás do bar que da em uma varanda.Ele tenta segui-la mas homens próximos o impede de seguir sem uma briga.Ele desiste e sai pela parte de trás do primeiro andar,e sai em um beco ao longe Cloe correndo.

Usando sua rapidez ele a ultrapassa e diz que quer somente fazer perguntas,e que ele é o novo xerife. A garota se assusta e foge com rapidez em sentido contrário quando Vitorini tira suas armas dadas pelo seu lacaio duas calibre 12 de cano cerrado e atira em suas costas. A vampira cai em torpor e ele a leva.

Cena 3: Interrogatório

Vitorini leva Cloe em seu carro junto com Cicatriz para as docas.Ele a amarra com correntes de navio em um poste de ferro e a acorda com sangue.

Ela acorda furiosa e ele faz perguntas,porém em vão,os dois são de épocas muito diferentes e não conseguem se entender.Cicatriz como um bom soldado não faz nada sem ser mandado. Como o sol já esta prestes a nascer ele desiste,estaca Cloe e a leva para um lugar seguro.


Veronica

(resumo)

Cena 1:Laboratório

Após sair do Elisio Veronica vê Cassid entrar para dentro da mata do City Park e desaparecer. Ela vai para sua casa e no seu laboratório prepara a pesquisa para fazer suas balas especiais que o príncipe havia pedido.

Depois de horas de pesquisa ela consegue descobrir grande parte do que precisa para aprender como fazer o material.Mas antes mesmo de se preparar para faze-lo ela recebe um chamado em sua mente de Morgana uma malkaviana. O chamado não cita seu nome e parece que chama a todos os malkavianos da cidade para o cemitério Greenwood,e  diz que é importante.

Sem questionar muito Veronica deixa seus afazeres e vai. Chegando ao cemitério ela é comprimentada por um homem estranho,usando óculos escuros mesmo dentro do cemitério pouco iluminado. Ele se someia Jack e a chama de labe botas do príncipe,eles trocam farpas e ela segue em direção ao escritório do cemitério.

Cena 2:A reunião 

(Romance)

Sexta Feira,dia 15 de julho de 2016,as 00h
Cemitério Greenwood,Nova Orleans

 

Veronica avista a área de velórios do cemitério  no fim da rua,mesmo apesar da escuridão para ela ver era fácil,contanto que tenha pelo menos um pouco de iluminação e a noite já estava bem iluminada graças a lua cheia.

Ela caminha calmamente em meio ao silencio quebrado apenas pelo canto do vento entre os túmulos,já há muito tempo não sente o medo irracional mas completamente natural que cemitérios a meia noite causam nas pessoas,e se comparar com uma morta viva ela está quase em casa,apesar de que escolheria um lugar melhor para reunir membros do clã, mas as crias de malkav são imprevisíveis,ou o que deve ser dito nesse encontro pode ser importante demais.

“Melhor do que aquele lugar”

O provável local do encontro é uma casa para velórios junto ao escritório de registros e mesmo venda de caixões,e compra de planos funerários. A frente tinha uma grande porta de vidro e janelas que podia se ver Morgana e mais duas figuras,pareciam mulheres.Ela entra pela porta de vidro entre aberta e vê uma malkaviana morena de cabelos em dread e boina,usando uma calça jeans surradas e botas,e uma regata camuflada ela apesar da aparência de durona parecia nervosa e insegura,olhava para todos os lados e tremia como se estivesse com frio anormal para um vampiro.

Morgana estava ao seu lado com roupas do século passado,vestido branco amarelado,coberto de rendas,qualquer um que a visse diria que ela teria sérios problemas mentais,ou estava querendo assustar alguém,seus cabelos negros bem penteados e sua aparência de uma bela garota inocente não ajudavam muito com seus maneirismos exagerados,imprevisíveis e olhar assustado.

Ao lado de Morgana havia uma mulher sentada em uma cadeira de rodas,ela vestia roupas da mesma época que Morgana,um vestido rosa claro cheio de bordados e rendas,luvas e com véu tampando seu rosto.Ela cheirava um perfume adocicado que seria agradável se não tivesse usado em doses que permeava através de toda a casa,forçando Veronica deixar de usar seu olfato.

─Alguém aqui exagerou no perfume favorito não é mesmo?─Veronica diz chamando a atenção sarcasticamente.

Morgana da um riso infantil

─Lucia é muito vaidosa─Morgana diz─ela ama perfumes.

Veronica olha para Morgana com um olhar de suspeita e despreso.

─E ela é muito tímida também─Morgana responde o olhar de Veronica dando um novo riso.

Veronica se aproxima de Lucia e levanta o véu.

Como ela esperava,Lucia não passava de um cadáver em decomposição,sem cabelos e gosmento,não dava para saber se realmente era um corpo de homem ou mulher.Morgana tinha suas manias de usar cadáveres como brinquedos ou vê-los como pessoas vivas,mas esse era o mais podre que ela tinha visto com ela.

“Será que ainda tem sangue”

Veronica contem a expressão de nojo sem muito sucesso,Morgana tira sua mão do véu como se algo a estivesse a incomodando.

Antes mesmo de Morgana começasse a chamar sua atenção,ouve-se barulhos de botas entrando na sala,era Jack,ele parecia impaciente com as mãos nos bolsos e mastigando algum pedaço de mato.

─Vamos logo com isso─Jack fala quase gritando─Não a mais nenhum idiota pra chegar,ou tem ?

Veronica o ignora completamente e se volta para Morgana.

─Porque nos chamou?

─Eu reuni vocês porque Charlot teve uma visão importante sobre os acontecimentos recentes e queria que ela compartilhasse isso com o clã,para que possamos definir o que faremos diante disso.─Morgana diz apontando para a insegura malkaviana,que olhava para as portas e janelas,como se quisesse fugir.

Todos olham para Charlot que começa a gaguejar.

─Diga logo garota o que você viu?─Veronica pergunta impaciente.

─Eu… eu não sei…eu vi…mas…mas

─Ah vão a merda! Eu não quero ficar aqui pra isso A DEUS!─Jack sai da sala batendo a porta de vidro a ponto de quase quebra-la.

“Que se foda”

Charlot se curva no chão em posição fetal,balbuciando sons incompreensíveis.

“Que merda”

“Devore essa garota logo,você vai saber o que ela sabe de qualquer jeito”

─Não!─Veronica responde para ninguém.

Veronica olha para Morgana que não esboça nenhuma emoção.

“Aff vou ter que apelar para meu lado carismático”

“Qual lado?”

Veronica se agacha próximo de Charlot

─Se acalme,está tudo bem.─Veronica força uma simpatia─Você está segura,pode falar,prometo que não vou deixar nada te acontecer.

─Você promete ?

─Sim prometo.─Veronica responde com um sorriso forçado de canto de boca .

─Tudo bem.─Charlot se levanta─Err…o que eu tenho a dizer…. é algo estranho para mim mas….mas pode significar algo para vocês…. estou certa que é algo muito importante para a cidade como um todo…e…

“Aaaaa mata ela”

Veronica já estava ficando sem paciência com aquela tortura.

Até que um estrondo soa pela sala,Charlot para de falar e fica paralisada por um segundo com a boca aberta,até cair com o buraco em sua testa,Veronica a agarra antes de Charlot bater no chão. Ela se vira e vê Jack na porta segurando uma pistola calibre 38 na mão direita,e um lança chamas na esquerda,seus olhos maníacos podiam ser vistos brilhando atrás dos óculos escuros.

─É hora do show lambe botas!

Ele atira o jato de chamas em direção de verônica,que não vê outra chance do que bombear seu sangue para aumentar sua força o suficiente para pular com Charlot para fora do alcance do jato que a consumiria as duas. As gargalhadas do piromaniaco ecoam pela sala enquanto Veronica caia no piso de mármore que brilhava com o caos na sala. Veronica deixa Charlot no chão e pega sua  besta de uma mão,uma arma modificada por ela para soltar até três dardos com uma potencia de um tiro de 9mm.

Não da tempo de Veronica se levantar,Jack já preparava um novo jato na direção delas,se controlando para que a besta não a faça sair correndo em desespero,ela mira e atira um tiro certeiro no coração de Jack que cai para trás em frente a porta.

Ela se levanta com Charlot no ombro esquerdo e a besta na mão direita.As chamas na parede a frente diminuíam de acordo que não tinham muita coisa a queimar.

“Acabou?”

Sons la foram mostram a Veronica que tudo isso era uma emboscada,as janelas se quebram com bombas incendiárias que espalham chamas pelos caixões em exposição.O desespero aumenta,quando Veronica vê Morgana acenando de uma porta a frente no final da sala.

Veronica corre, e ao passar pela porta de entrada ela vê uma granada indo em sua direção,ela fecha os olhos e pula para frente,o calor a atinge deixado a besta louca mas ainda controlada,por pouco as chamas não consumiam as duas.Ela corre para dentro da sala sentindo o calor atrás de si.

“As chamas estão me perseguido”

Na sala ela encontra uma visão deplorável e assustadora de  Morgana em lagrimas de sangue, ela nada diz, somente abre um alçapão que leva ao subterrâneo,um túnel que poderia ter sido escavado por nosferatus.Morgana vai na frente em seu desespero e Veronica logo atrás. O túnel era grande o bastante para ficarem abaixadas,assim que Veronica desce põem o corpo de Charlot no chão,o corpo já estava se decompondo.

“Oh não”

Veronica conseguiu se livrar das chamas a custa de Charlot,que teve grande parte do corpo queimada.Em seu desespero não notou que o calor atrás dela era de Charlot queimando.

Mas Veronica não podia perder a informação de Charlot assim,quem quer planejou essa emboscada queria silenciar Charlot junto com o clã todo.Veronica toca no rosto de Charlot com remorso de não ter comprido sua promessa.

Cena 3:O Titere

(Resumo)

Veronica usa sua visão do caos ao tocar no rosto de Charlot,e vê um homem extremamente pálido com olhos vermelhos dentro de um sarcófago de mármore,dentro de Morgana, e Morgana dentro de Charlot. Confusa com a visão ela segue e deixa o corpo de Charlot se decompondo no túnel e segue Morgana.

Veronica segue Morgana pelos túneis que as levam para os esgotos,Morgana continua correndo como se estivesse ouvindo alguém. Até saírem na região norte do Distrito dos Jardins em frente ao refúgio de Morgana. Assim que as duas chegam Morgana cai em prantos,gritando e amaldiçoando alguém,ela não olha para Veronica.Depois ela parece se acalmar com conselhos de alguém invisível ou a voz na sua loucura,ela se levanta e olha para Morgana pela primeira vez depois de chegarem,pegando uma faca e caminhando em direção de Veronica.

Veronica confusa não sabe o que dizer ou fazer,mas tenta acalma-la,sem sucesso. Morgana se aproxima e corta o próprio pescoço,Veronica é atingida por uma fome gigantescamente incomum,e pula em Morgana bebendo seu sangue.

Assim que ela se satisfaz ela ouve uma voz de um ser que e intitula “O Titere” ele conversa com Veronica que deduz que ele seja o vampiro dentro do sarcófago que estava usando Morgana e Charlot. O Titere diz que a reunião e a mensagem de Charlot foram invenções dele para chegar até ela,e propõem para que Veronica seja as mãos dele na cidade e que ela tem muito a aprender e a ganhar com ele,ambos tinham muito o que se beneficiar.

Veronica irritada por ser enganada,ameaça encontrar e destruir o dono da voz,ele compreende a raiva de Veronica e da a ela um tempo para pensar em sua proposta,Veronica ajuda Morgana dando-a sangue de alguns cadáveres que ela escondia  em seu quarto,e depois disso volta para seu refúgio.

Cena 4:A doença

Após voltar para seu refúgio,Veronica continua com seu projeto de terminar a fazer balas incendiárias para o príncipe. Depois de horas ela obtêm sucesso e termina,levando as formulas para o príncipe.

Assim que ela entrega o pedido para Alexander,ela diz a ela sobre uma história contada pelo príncipe de Nova Yorque que usou uma substância para rastrear vampiros,e queria que Veronica criasse algo do tipo para que ele possa rastrear os vampiros indigentes da cidade.

Veronica diz que poderia criar uma doença,que afeta vampiros podendo identificá-los mais facilmente,aumentado a sua palidez e diminuindo sua temperatura corporal.

O príncipe aceita a idéia contanto que a doença não infecte o rebanho,e tenha duração limitada.

Com essa nova demanda ela volta para seu refúgio e volta a suas pesquisas,ela já conhecia um tipo de doença vampirica européia que atingiu os vampiros de sua terra natal,e parte desse principio.

Cena 5:Thirion desaparece

Em meio sua pesquisa Veronica procura por sua cria e ajudante Thirion,um neófito de uns dez anos de não-vida,um médico promissor apesar de poucos anos formado ele era um ávido estudante e amava sua profissão,poderia até ser chamado de um novo gênio mas entre talvez os mortais. Veronica precisava mais de suas capacidades do que o rebanho.

Porém ao procurá-lo por toda mansão não o encontra,ela recebe uma ligação uma voz estranha diz a ela sobre Thirion,era Cassid. Ele havia sido raptado de alguma forma  dentro da mansão. Cassid diz a ela para vir encontrá-lo em um local para negócios e ela aceita.

Ela vai até a região de Midi-City em uma rua deserta,quando vê um homem acenando. Ela vai até ele e o homem diz leva-la até os negociantes,ela o segue até um terreno baldio. Ele aponta para ela dentro de um alçapão que leva ao porão de uma casa velha aparentemente abandonada.Ela vai em direção e quando chega perto do alçapão escuta passos de um grupo chegando na entrada do terreno,enquanto o homem que a levou fugia três homens abriram fogo contra ela.

Ela salta mas não escapa da maioria dos tiros, saca sua arma e atira de volta enquanto usava seu sangue na cura dos ferimentos.

Os homens não eram carniçais e não sabiam qualquer coisa sobre aquilo que acontecia,amedrontados por uma mulher frágil como Veronica não ter caído com os tiros e pior revidado,acabaram errando muitos tiros o que deu vantagem de Veronica em matar dois deles,o terceiro foge,mas parece gritar por reforços.

 O Titere diz a ela que Thirion estava na casa ao lado,e fala para seguir por uma entrada atrás da casa,Veronica pula o pequeno muro que cerca o terreno,e não acha a entrada que o seu guia diz,sem muito tempo ela volta para cima do muro e pega os homens que não esperavam ela voltar de surpresa. Bombeando o sangue para seu corpo ter mais agilidade e vigor ela atira nos homens sentada de cima do muro como se estivesse brincando com uma arma de água.

 Com o fogo cruzado Veronica ainda é atingida e quase cai,mas sua resistência aumentada ela consegue se manter sentada no muro e derruba três e fere um que foge novamente.

O Titere ainda insiste na entrada traseira como se ela estivesse aberta e visível,mas Veronica não se arrisca mais,e vai para porta da frente.Ao entrar o Titere diz que Thirion está no subsolo e diz para ela descer uma escada no meio da sala,escada que não existe,Veronica irritada procura outra descida e encontra.

No porão da casa ela vê Thirion em uma cadeira estacado e amarrado,antes mesmo que Veronica tente desamarrá-lo é atingida por tiros,por um vampiro com moleton capuz e touca ninja que estava ofuscado,passos acima são ouvidos,e Veronica  bem ferida não tem outra alternativa do que gritar. Deixando o vampiro atrás dela em frenesi e a atacando-a.

Ela teria caído pela êxtase mortal da mordida se o vampiro não fosse empalado por Bocarra(um nosferatu) assim que ela olha para porta dois homens do príncipe dessem as escadas para ajuda-la.

 

 

 

Comments

thwmetal thwmetal

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.